terça-feira, 27 de outubro de 2015

Amizades que acabam

Uma página virada. Criar coragem para acabar uma amizade unilateral. Eu era a miga de todas as horas e o papel de idiota me vestia perfeitamente. Demora o tempo que for e comigo precisei esperar 30 anos para ver isso acontecer. Bem que meu primeiro namorado uma vez falou: "essas pessoas só ligam para você quando precisam". E hoje, eu vejo o quanto as palavras dele fazem sentido.

E parando para analisar, nunca que tive uma amiga por muito tempo. E não sei se continuará sendo assim. Tenho pessoas ao meu lado que gosto de conversar, de ouvir falar, de sair para beber e conversar alguns papos em dias. Poucas são aquelas que agem como eu: prestativa a hora que for e ajudar sempre que puder.

Das pessoas que se afastaram, foram por acasos da vida. Casaram, seguiram outros caminhos. Ou se não casaram, foi por motivo de: o tempo nos afastou. Não guardo rancor por mais de 90 dias. Porém se faz necessário me afastar de pessoas que nada me acrescentam.

Seguindo sempre em frente e com um sorriso.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Mudar

Mudar. É a necessidade que sinto nesse momento. Mudar de trabalho, de ares.. essa é uma rotina que está me cansando, mexendo com meu sono, com meu humor. Agosto, pra variar foi um mês penoso, cheio de coisas ruins acontecendo no meio de poucas coisas boas.

Já pedi ajuda, mas a situação anda dificil. E por mais que eu tente manter a calma, o desespero aparece, pois preciso e sinto a necessidade de sair daqui.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Tudo que eu queria por um momento eram duas coisas: um botão para apagar memórias tristes e outro botão para desligar a minha mente de pensamentos. Esse último seria o mais legal, atualmente. Ando pensando coisas que me desafiam, se é real ou imaginário ou o que é a verdade e o porque de se inventar mentiras para escondê-las. Mas a verdade sempre aparece, por mais que nada se diga do lado que se descobre ou do lado de quem esconde.

Descobrir verdades no meio de mentiras, ou no meio do que não é dito. O que se esconde passa a ser uma especie de segredo. Como se o irrelevante se fizesse o interessante. Enfim, também guardo segredos entre a mente e o coração que nem minha razão conhece.

E fico me questionando esse motivo que as pessoas tem em vestir uma mascara para conseguir viver em sociedade, não porque mentir é legal, mas pra se encaixar no meio e se sentir aceito. Saber que pode se conquistar (?).

Eu aprendi a viver na minha solidão, dentro do meu eu. E não há calmaria de me sentir bem do que na minha própria companhia. Não por egoísmo, mas pelo que aprendi com a vida. De ver pessoas entrando e saindo, deixando marcas e cicatrizes ou não criando vinculos. De ficar, permanecer e se afastar.

E a cada fio de pensamento que tenho, se desdobra em mais assuntos que me fazem desejar o botão de desligar essa mente pensante que imagina e supõe.


quinta-feira, 28 de maio de 2015

Aos pouco tô aprendendo o desapego. Pensando mais em mim, no que sinto. Cuidado comigo mesma, pois assim estarei valorizando o meu amor próprio. É difícil, mas nunca impossível. Pois quando passamos a dividir momentos com a companhia de outra pessoa, focamos para que a outra pessoa se sinta bem, esquecendo um pouco de  mim.

Tudo vai bem, vai fluindo bem, mas preciso também focar em mim. Eu me amanda mais, estarei valorizando o amor ao próximo também.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Por mais que não tivéssemos afinidades, a gente se conhecia.. E já compartilhamos de momentos felizes, divertidos.. Essa é a lembrança que vou guardar..

E fica o choque de saber que uma guerreira se foi

terça-feira, 19 de maio de 2015

Mais uma nostalgia

Muito tempo sem escrever nada.. Sem me expressar. Queria que esse ano eu pudesse voltar a escrever, mas eu acabo esquecendo. Estou desleixada comigo mesma. Sem vontade de fazer as pequenas coisas que gostava tanto. Enfim, foi como eu estive pensando e conversando com um amigo. Ando sentindo falta do passado. Da liberdade que eu tinha em fazer o que gostava, não que hoje tenha alguém me impedindo, pelo contrário. o que me impede é essa maldita e abençoada internet. Que me afugenta do convívio social, que me faz parecer ser antissocial, ou uma pessoa chata que reclama demais. A internet me transformou em tudo isso.

Mas eu gostava de ter meu amigos por perto, quando nossa única prioridade era diversão, jogar conversa fora ou estar em uma roda de violão cantando.

Isso tudo me faz falta hoje, me peguei e me prendi nessa lembrança. Nada mais voltará a ser como antes.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Saudades

Há três ano o céu ganhava uma estrela guerreira e muito iluminada: minha mãe. Até o dia de hoje sinto a falta, em alguns momentos choro, mas sei que ela tá feliz. E hoje eu também estou. É difícil não ver o sorriso, não ter as conversas, as brigas e implicâncias que tínhamos no nosso dia-a-dia. Hoje é tudo lembrança.

E depois de mais de vinte anos, reli uma carta que ela me escreveu. E todo aquele incentivo que recebia dela veio à tona: não vou desistir.

Te amo pra vida toda!


A carta é velha, mas a saudade é atual!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Relato

Descobrir uma mentira gera decepção. em qualquer sentido: campo amoroso, no trabalho, com amigos. Perder a confiança não é algo positivo, sempre vai deixar dúvidas.

E não adianta mentir, a verdade sempre aparece, de alguma maneira. Como foi no caso, um telefonema, uma conversa aqui, outra ali e mesmo sem esperar vem a pergunta .. E foi essa pergunta que me deixou desconcertada, pois a pessoa que jamais desconfiei foi a quem mentiu sobre um fato ocorrido há duas semanas.

Tenho que esconder os fatos e omitir os detalhes..

Enquanto isso, estou me sentindo bem, me curando de uma gripe que foi antecedida de garganta inflamada e uma sinusite.


terça-feira, 20 de janeiro de 2015

FDS

Aos poucos tudo se ajeita.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Começando bem 2015

Na virada uma das únicas coisas que pedi (sim, estou redundante) é que eu seja a minha própria fonte de felicidade. Que nada venha a me fazer triste, machucar ou me preocupar sem razão. Chega de dar audiência ao que nada me traz de bom.

Comecei o ano sorrindo, viajando e me sentindo em equilíbrio. Acho até que encontrei a minha paz interior. Sorrir e Agradecer, espero que esse lema se perdure nos próximos meses e que consiga mudar a frequência do meu pensamento para atrair o positivo.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Que ano!

Em 2013 não fiz minha resenha de final de ciclo, quebrei uma nova tradição, mas esse ano estou retornando.

2014 começou bom. Porém foi um ano de muito estresse emocional.Um ano que tinha tudo pra ser um cu bem redondo. Descobri mentiras, e mais mentiras de pessoas ao meu redor que nem fazia idéia que poderia agir de tal maneira. Foi um ano de verdadeiras desilusões. E todo esse sofrimento amadureceu mais crescimento em mim. Foi também de superações. E uma das parte que mais me deixou a flor da pele foi descobrir meu problema na tireoide. Isso me fez emagrecer, me fez ter crises de ansiedades até entender que na TPM meu humor mudava radicalmente por causa da quantidade de hormônios em ebulição. Ainda não sei ao certo o que eu tenho, mas são nódulos e cistos que a medica achou melhor esperar mais um ano pra observar melhor.

Chorei demais em 2014, tudo o que não chorei em 2012. Momentos de muita tensão.. apenas mais um. Enfim é isso. Para qualquer entrega sempre haverá de ter um limite.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Stress

Essa é a sensação que me acompanha diariamente. Seja em casa, no trabalho, na academia. Nada me faz acalmar, até espasmos na narina direita ando tendo e isso só me deixa mais nervosa. E sinto que cada dia mais essa sensação vai crescendo. A velha rotina anda me consumindo. Preciso desopilar a mente, correr, gritar, espancar um saco de areia.. qualquer coisa.

Mas enquanto me sinto desestimulada para fazer qualquer coisa, acho que a solução mais rápida é procurar um floral de Bach, continuar na permuta de dengo com Xu e seguir em frente.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

=]

E com você quero ir sempre além...


sexta-feira, 18 de julho de 2014

Saudade

Hoje a saudade me invade. Não aquela saudade triste, mas sim aquela do tempo que tudo era simples. A conversa fluía com sensatez, não existia o lance da desconfiança e nem do achismo. Era tudo direto, sem rodeios. O dia-a-dia seguia sem tropeços. Uma pena que alguns pontos ao invés de evoluir parecem retroceder e a desconfiança passa a falar mais alto, devido a pequenas falhas cometidas. Daí um pé passa a ficar sempre atras, um olho aberto e outro fechado... é chato quando chega a esse nível. E o esforço para mudar o quadro parece ser em vão. O que fazer então? Desistir? Continuar tentando?

Mas quero continuar o tempo do saudosismo, onde o que importa é viver o dia de hoje, sem ligar para o que possa acontecer amanhã.

Aqui, provavelmente vai chover.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Bipolaridade?

Não creio que seja isso, mas consigo notar melhor minhas alterações de humor. Agora sei que existe um motivo para isso, que não é apenas na TPM que isso ocorre. Essa troca de humor, nervosismo, irritação são comuns. Mas nunca tinha pensado que eram alterações consequentes do problema na tireoide. Foda! Hoje estou me sentindo sensível demais, querendo chorar sem motivos, também é uma das consequências. Prefiro me isolar, ficar respirando fundo... deixando que minha mente fértil trabalhe sozinha e escrevendo coisas aleatórias do que brigar com as pessoas ao meu redor. Ficou mais rotineiro ouvir que estou bruta ou outra qualidade do gênero, mas agora sei que não é porque eu quero..