quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Porque tudo muda

Esse ano, tudo foi diferente. A maneira como rompi o ano novo, o equilíbrio que mantive no momento que sempre imaginei que fosse desabar, descobrir pessoas que jamais imaginei que estariam ao meu lado e me surpreender com pessoas que pensei que estariam me apoiando e no entanto nem apareceram.

Dizem por ai, que para deixar o novo acontecer na nossa vida, a gente tem que saber deixar o velho sair. Sempre tive a presença materna em minha vida, já falei antes o quanto eu amava meu aniversário e parte disso eu devo a ela, minha mãe. Primeiro pelo motivo mais clichê: ter me dado a vida e muito além disso de ter me dado um exemplo de vida de alegria, de fé e de confiar em mim. Uma das coisas que eu mais gostava era acordar com a alegria que ela tinha no meu aniversário, todo ano sempre colocava uma fita cassete que tinha gravado a música dos patinhos cantando o parabéns, era uma sensação única. Esse astral que me fez fazer inúmeras contagens regressivas para que sempre chegasse o dia do meu aniversário. E agora, tudo é uma lembrança.. um passado bem vivido e aproveitado. 

Por outro lado, vem a fase da superação, de conviver com uma nova rotina, de não me entregar de braços abertos para a tristeza. E a contrapartida da perda, foi encontrar um amor que nem de perto foi o que um dia sonhei para mim, João é mais que tudo isso, e todo dia eu agradeço por ter ele ao meu lado, não apenas como namorado, mas como amigo, como companheiro. E por ele eu faço coisas não só para agradar, faço por ter o prazer de estar feliz.

Amigos, eles fazem parte da rotina, alguns sumindo, outros reaparecendo, nada muda nesse aspecto. Só acrescenta mais pessoas que gostei de conhecer.

Eita que 2012 deixou marcas bem antagônicas... o que teve de acontecer de ruim, aconteceu, entretanto o que teve de acontecer de melhor.. porque tudo muda na essência e no curso da vida.


E que venham novos desafios!

domingo, 14 de outubro de 2012

Palavras vagas

Às vezes algo muda dentro de mim e meus pensamentos fervilham no mundo do achismo. É difícil querer parar esses pensamentos, mas tenho que calar essa voz interior que muitas vezes faz comparações sem sentidos.

E a saudade cresce cada dia... e começa a doer. Não quero demonstrar fraquezas, mas as lágrimas rolam no momento de solidão e isso me faz sentir mais leve..

sábado, 23 de junho de 2012

T.P.M.

Tempo Para Meditar e encher a cabeça de besteiras, odeio quando os meus hormônios tomam conta de mim, alterando o humor e achando que nada está perfeito. E a melhor notícia é saber que a delicadeza saiu pra passear com a paciência e não deixaram recado sobre quando voltam.

Enfim, o lado cavalo do Sagitário dá o coice, sem pensar, porque tudo parece irritar: a mesmice da internet, o calor, a goteira que vem do ar condicionado do vizinho, o cabelo que parece peruca de espantalho, a falta de trabalho, a falta de dinheiro, a ausência da paciência, a alteração constante de humor, a vontade de chorar porque nada faz sentido, a saudade que dói no peito, um short que aperta, uma camisa que encurta, uma alergia que ataca por causa dos fogos de São João, um antialérgico que faz adormecer. E mais calor! E as idéias borbulham até a cabeça latejar. O desejo é de comer um chocolate que derreta na boca, um colo com muito dengo, é pedir que o frio se faça presente, de quebrar todos os espelhos ou até mesmo cair em um sono profundo e acordar sem esse incomodo da TPM.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Tédio

E depois de um bom tempo, eis que o tédio me ataca novamente. O ócio anda tomando conta de mim aos poucos, a criatividade vai se esvaindo e a vontade de escrever se perdendo a cada dia, pois vivo na rotina. Tudo igual todos os dias.. tá, exceto os finais de semana, meus dias não são tão iguais assim..

Mas agora tem a novidade de mais um membro na familia.. era pra ter ido lá hoje, mas meu amigo tédio me prendeu na cama..

Ah .. e o amor.. vamos bem!

sexta-feira, 4 de maio de 2012

=)

Não precisamos de ninguém para ser feliz, mas quando se tem uma pessoa ao nosso lado, tudo parece ficar mais azul. E eu que a um pouco mais de um mês sonhava em ter um Mr. Big para mim, acho que o encontrei. É especial é encantador, pode parecer imperfeito, mas apareceu no momento certo, e isso é o que importa. Ele me faz bem, me desperta emoções, libertou em mim o lado carinhoso que estava adormecido há tempos.

Que venham novas manhãs de borboletas no estomago.

terça-feira, 24 de abril de 2012

;}

O primeiro passo foi dado e agora é seguir um novo caminho.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Tipo assim.. outro desabafo

Dois meses se passaram. A saudade é grande e a minha vulnerabilidade também. Pensei seriamente em uma ajuda psicológica, mas ainda tenho dúvidas de que realmente seja necessária. Um vento novo soprou e sei que mudanças devem acontecer, mas não sei exatamente onde mudar. Mas algo já mudou. Tenho um receio de encarar o novo de frente. Perder alguém que a gente ama é dificil. E minha cabeça tá confusa com tudo. Sei que não posso me dar ao luxo de esperar mais. Preciso de mais um tempo só para recolocar e realocar tudo que penso, que faço e falo.

Sei que a mudança já começou e ainda não me dei conta disso. Sim eu me cobro mais do que posso. E ajudo aos amigos mais do que devo, sou assim.. e agora tenho que ser egoísta e aprender a ter ambição. Criar novas metas e colocá-las em prática. Esse novo me assusta. Até o simples ato de escolher palavras me assusta. Não quero deixar o medo tomar conta de mim novamente.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Aquela saudade no peito

Mãe, um vazio cresce a cada dia, sei que você está bem.Esse tipo de saudade é diferente, porque não tem como telefonar, marcar um encontro ou qualquer outra alternativa para que acabe com essa sensação. Estou experimentando um outro significado da saudade, aquela experimentação de reviver lembranças. Toda noite vem sendo assim, desde que você partiu, não consigo deitar a cabeça no travesseiro e pegar logo no sono. A memória é rendida de vários capitulos que passamos juntas... 

Não, não estou sofrendo e me perguntando porque tinha de ser naquele momento.. já esperava que isso fosse acontecer, mas não tava tão preparada naquela manhã de domingo. Tudo que eu fazia era pensando em você e agora não sei por onde recomeçar, tô meio perdida, eu sei.. mas o tempo.. esse Senhor que todos se agarram nessas horas de solidão, vai me fazer encontrar a saída. Aos poucos vai me aparecer um novo norte, algo para focar a minha atenção e enquanto isso ainda não está definido, vou recuperando algumas lembranças do nosso convívio.. te amarei para sempre.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Saudade

Serei apenas mais uma a escrever sobre a saudade. Estou vivenciando uma saudade incondicional de um amor verdadeiro, o que eu sinto pela minha mãe. Parece normal passar por essa fase, um filme se passa em minha cabeça de momentos especiais. Quando ela ia na escola saber como estavam minhas notas, ou de simples passeios que fazíamos nas tardes de sexta-feira. A maneira pecualiar de me acordar no meu aniversário.. Saber que tinha alguém que acreditava no meu potencial, mesmo sem eu saber que era capaz de acreditar em mim mesma. Mas ela sempre foi presente. Pequenos valores e minimos detalhes que fazem grande diferença na pessoa que me tornei. Momentos comuns que hoje são especiais. Ou de como brincavamos ouvimos uma musica qualquer.
Mãe, sempre fará falta as nossas desavenças ou de quando tentava pirraçar fingindo que não ouvia sua reclamação. Os castigos de não descer nos finais de semana e até os conselhos quando gostava de alguém. Sempre me ensinando que quando vamos a casa de alguém é importante pedir pra ajudar.
Eu faria tudo de novo pela Senhora, só acrescentaria mais amor do que já dei. Mais carinhos que fiz e deitaria mais no seu colo para receber seus cafunés na sombrancelha.

... enfim só restaram as lembranças e muitas saudades.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Até Breve

porque uma despedida é sempre triste. Te amarei sempre mãe. Descanse em paz.

Essa é a imagem que sempre lembrarei de vc

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

é.. é aquele velho mimimi

O ano começou de maneira "forte" para mim. Muitas informações que não consegui assimilar de uma só vez e que aos poucos vão se fazendo "cair a ficha". Bate uma certa impotência por não saber como lidar com tudo isso. Não é querer me revoltar, mas ser respeitada. E nem que eu tenha que brigar com o mundo, vou me fazer ser ouvida. Serei egoísta ao ponto de querer me preservar e fazer o que eu achar que devo fazer. Sinto-me só, sem saber em quem devo confiar, se que é existe essa confiança, que um dia foi quebrada.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Jacira

Ultimamente minha rotina tem sido no Hopital, já que minha mãe está internada para umas trocas e acompanhamento dos curativos. E ao lado dela, tem uma senhora, que aparentemente foi abandonada pelos filhos, pois não vejos eles corriqueiramente por lá, como eu e a minha irmã ficamos com nossa mãe. O estado dela é delicado, ela sofre de diabetes, teve uma das pernas amputada e a outra está atrofiada. Geralmente eu a via se alimentando apenas de mingau, sucos. e mesmo assim, só comia, se algum voluntário desse o alimento a ela. Pois com a nossa chegada, passamos a dividir a atenção da minha mãe com ela. E em alguns dias já estamos familiarizadas. Damos os mingaus, abanamos (pois lá faz um calor disgramento), penteamos os cabelos.. enfim, estamos fazendo com que ela não se sinta abandonada. E nos últimos dias, ela reclamava que queria comer feijão, pirão.. não aguentava mais o mingau. E falamos ao médico em uma de suas visitas diárias. E ontem, dia 09/01/2012, ao não querer tomar o café e o lanche que chegou pra ela, fui procurar a nutricionista na sala dela, para relatar o fato. E quando chegou a hora do almoço, o momento que emocionou não a mim, mas a todos que a acompanham: ela recebeu sua primeira refeição. E vê-la comer sozinha foi uma lição de que ajudar vale sim a pena, a quem precisa. 
Eu me senti de uma maneira leve, por ter ajudado e continuar ajudando. Minha consciência se mantem firme de que ainda tenho muito que melhorar, mas essa é uma das etapas vencidas e ainda vão aparecer várias outras pela frente.

domingo, 8 de janeiro de 2012

2012 chegou

Sim, o ano chegou e pra mim é como se nem tivesse começado. Vida de hospital, dormindo, almoçando, ceiando. Fazendo amizade com técnicas de enfermagens, com enfermeiro. tendo contato com outros acompanhantes e ficar sentida quando um desses acompanhantes perde o seu ente querido. Perdendo oportunidades de trabalho, porque não quero deixar minha irmã sozinha tomando conta de minha mãe, quero dividir as responsabilidades. E nisso a gente se cansa, não dorme direito. Mas minha mãe, ela tá bem.
E se não é essa rotina é ficar sabendo coisas que me deixa impressionada, abobada e com um certo ar de "ui, o mundo dá voltas". Fez ontem, tá pagando hoje. E com isso, eu agradeço aos céus e só me resta perdoar àqueles que me magoaram. Eu sei que sou feliz, sou especial, entretanto no momento, estou cuidando de algo mais precioso para mim.
2012 está aí, para se saber aproveitar, saber pedir e saber viver com dignidade. Deixando para trás, aqueles planos que não deram certo, que não deu valor, ou que só trazem aborrecimentos. Quero tudo diferente e positivo para esse ano. Sorrir, sorrir e sorrir.
Quero a prosperidade, a sorte, dinheiro, cuidar de mim.