domingo, 25 de setembro de 2011

Reencontro Sacramentinas

Hoje foi bem especial. Durou algumas horas, mas esses momentos parecem uma eternidade. Cheguei atrasada na Missa, dormi um pouco mais até resolver sair de casa. 
Missa no Sacrá pra mim, antigamente, era um sinal de rebeldia. Foi em uma dessas Missas que tomei consciência de que a Igreja Católica era repressora demais por condenar o uso da camisinha. E eu tinha apenas 16 anos. Não que eu fosse rebelde.. até porque nunca fui rebelde.. (risos sacrossantos)
Bem, hoje eu tive uma outra visão de pensamento, (tá, podem ter se passado alguns aninhos, tipo 05 no máximo), desde que saí de lá. O momento foi na bênção aos ex-alunos. Agradeci a minha mãe por ter me imposto estudar no Sacramentinas, quando o que eu mais queria era ter ido estudar no Dois de Julho. 
No Sacrá eu tinha uma outra família e não me dava conta. Posso não ter andado em grupos fixos, eu gostava de ficar cada dia com um grupo, me espalhar mesmo. Não tive paixões arrebatadores, mas sabia de quem minhas amigas eram apaixonadas. 
Hoje com o reencontro dos ex-alunos, pairou isso em minha mente, do quanto foi bom pra mim ter conhecido essa congregação. Do quanto ela ainda hoje contribui em minha vida com esses eventos. E foi em um desses encontros que pude reestabelecer laços com pessoas que não via há anos. Que sempre marcam pra sair nos momentos de alegria e que também se unem nos momentos de tristeza.
Não sei ao certo o quanto algumas pessoas lembram de mim, ou, quais lembranças carregam. Mais uma coisa é certa: ainda somos uma Família.


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Equilibrio

Preciso voltar a minha velha rotina de blábláblá: ler, escrever em blogs e ficar em casa. Trabalhar, manter o foco, treinar, pegar Mônica no trablaho, ver a ultima semana de Jesuíno meu amor e sonhar com minha volta pra SP.

Na verdade, eu queria férias de mim. Infelizmente não posso fugir da pessoa de quem sou.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Superação

Superar. Isso é uma das coisas que mais tenho feito ultimamente. Superei a doença da minha mãe. Superei um rompimento. Superei a morte dos meus três gatos. Superei despedidas. Superei saudades.
É doloroso esse tempo de superação, mas consigo sempre pois sei que no dia seguinte o sol volta a brilhar, um novo sorriso estará estampado em meu rosto, meus amigos me dirão palavras de motivação, Xuxu vai estar perto pra uma permuta de carinho e dengo..

Eu consigo superar, pois sei admitir que a batalha foi perdida, porém uma nova superação sempre estará por vir.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Dúvidas

Um momento é preciso parar antes de seguir em frente. Sei que vale a pena, mas o medo de sofrer grita. Ainda tenho traumas de repetir aquela história... Um dia ia acabar chegando essa tentativa, mas tá dificil, tá complicado. É uma luta interna de razão e emoção. 
É aquela coisa dividida de emoção e solidão.
Planos a dois.
Atos que faço só
E amigos para compartilhar boas conversas e conselhos que divago comigo mesma.

O medo é intríseco em mim.